quinta-feira, dezembro 30, 2004

tio Picasso, Rezende e monet...:)

tudo gente boa, mas o que quero dizer é que hoje dediquei o meu dia, e provavelmente o de amanhã, tão simples e adorável ao mundo da pintura, dei fundo em três telas, na quarta apliquei o gesso e outros materiais para dar relevo e qualquer coisa que nem eu proprio sei ainda o que fiz, mas o fundamental não é ter uma ideia ou fazer uma imagem que se pareça com isto ou aquilo, o fundamental é simplesmente gostar do que fiz.

Acontece-me que somente acho que uma tela esta pronta para eu a admirar quando sinto que não devo modificar mais nada, baseado no momento em que estou, baseado no meu grau de saborear o momento de cada uma pincelada, de uma dedada ou simplesmente de uma esponja;

As tintas faço-as em casa, oleo, essencia de terebentina, e pó de qualquer coisa que esteja a mão, os pinceis como já disse atrás são para mim dispensáveis, pois tanto crio um complexo de cores ou uma so pela forma dos dedos ou simplesmente deixo cair o frasco do yogurte em cima;

Livre, tanto quanto eu.

Nos fundos que criei, foram a maior parte virados para o mar, as ondas um tanto encrispadas ou encapeladas conforme se quizer dizer, depois um outro fiz igual mas em tons de ocre, dizendo-me a mim mesmo que o mar não tem que ser sempre azul ou tons esverdeados, por fim fiz a noite;

Nestes três fundos, apreciei-os e dizem-me que tenho saudades do mar, o da noite não gostei, não gostei porque me dizem escuridão talvez nostalgia, tristeza; Este vou amanhã continua-lo e colocar-lhe as casas da ribeira, os postes das luzes e provavelmente uma ou outra gaivota, assim sim, modifico a noite com alguma civilização, com luz e com a liberdade das gaivotas, neste momento comecei a apreciar o meu ultimo fundo o da noite.

Nunca precisei de ter uma janela para pintar, posso estar fechado em 4 paredes, porque o que imagino o que guardo do que vi ontem ou ha um mês atrás, tento, tento e tento com amadorismo ou não, não se trata de protagonismo, trata-se que eu consigo colocar lá, para mim.

Um dia, alguêm me pediu que eu fizesse uma tela, eu decorreram 7 meses e fiz, não uma mas sim 3...estava embalado nesse dia, mas gosto tanto delas que tive que as esconder quando esse alguêm veio cá a casa, eu simplesmente lhe disse que não tinha feito ainda nada.

Não consigo...são minhas, ou melhor são um bom bocado de mim.

Ah noite fui ao cinema, fui ver MAR ABERTO, não gostei, mas fiquei a pensar no caso veridico que o filme retrata... vida estupida a nossa, a lição que me deu, fui não mais do que me avivar a memoria ainda mais no que toca a saborear cada passo que dou nos minutos que passam de uma vida de quase meio seculo...( ehehehe meio seculo ???, ora, ora, tás velho rapaz, tu somente tens 40 anos e vens para aqui dizer que ja vais quase no meio seculo ?, até me pareces o primeiro ministro candidato a martir).

Boa Noite

1 comentário:

Anónimo disse...

What a great site
» » »