sábado, julho 17, 2004

sexta-feira, 9 de julho de 2004


   Se existe coisas que mais detesto, - já o disse aqui várias vezes - o sair á sexta-feira é exactamente uma delas;

   Mandei-me directamente a Vigo, (porque nestes momentos, quanto antes, eu sair, e, o mais depressa, melhor) tinha três levantamentos a fazer, dois em Vigo, outro perto de Ourense; Quando saí da oficina nesta manhã, a cafeteira dava-me o sinal da emergência que a melhor opção foi a centenas de metros fiz meia volta e retornei para questionar o mecânico, mas, segundo ele, estava tudo bem...- a coisa melhor que estes homens tem, é que esta sempre tudo bem, depois quem se trama são os motorista, mas pelo menos foi á responsabilidade dele, embora não goste, pessoalmente, dessa posição tomada - ; enfim, e, lá fui eu;
Após ter carregado nos três locais, o raio da cafeteira começou a aquecer de novo, eu fartinho destas coisas, e, já arreliado com o sair há porta do fim de semana, resolvi telefonar á gerência e dizer-lhes que isto não estava bem, e parei.

   Telefonemas para cima e para baixo, lá veio a assistência ao local ver o que se passava, e não é que após eu ter andado 30 klms com o mecânico dentro da cafeteira, para examinar melhor o problema, subidas e mais subidas, o raio da caminheta nunca aqueceu ??!! sempre se portou bem!!!? Que cara de Taxo eu fiquei...

   Assistência foi-se e eu retomei caminho.

   Entretanto, já a hora ia avançada, e, com estes contratempos todos, já nada me valia ir tomar um copo como pensava quando saí de casa, fui conduzindo pela A52 fora, direccionado a Benavente.

   Apanhei uma soneira que nem te conto, uma coisa que há muito tempo não me acontecia, e, quilómetros e mais quilómetros aguardava ansiosamente que a minha cafeteira pasmaceira encontrasse um local para encostar, quando apareceu, como que por magia, repentinamente o sono desapareceu, não parei, fiz mais uma subida, voltou o sono..irra que raio, - sabes que não sou assim, mas exactamente estava a cair no erro do insistir, insistir somente porque queria acordar no outro dia, longe, longe de Portugal - mas que estou eu a fazer, imediatamente saí na primeira saída que me apareceu, e, para mal de mim virei para o lado que era precisamente para descer a subida acabada de fazer, para cumulo sem local para dar a volta, ...

   Encostei num sitio...onde? não sei...e adormeci, adormeci em local nenhum, lembro-me de ter olhado para cima e pela abertura do meu tecto aberto, contemplei umas quantas estrelas;

   Sei que de manhã quando acordei estava numa entrada de um campo na berma da estrada. O sono é a pior coisa que uma pessoa pode ter, não é para mim hábito fazer o que tentei fazer ontem, mas acima de tudo espero que não volte a acontecer.

Sem comentários: